quarta-feira, 13 de maio de 2009

Escravidão acabou, sim ou não?



Como primeira atualização, vou falar de um assunto um pouco polêmico.

Hoje faz 121 anos que a abolição da escravatura foi assinada. Em 13 de maio de 1888 a princesa Isabel, filha de D. Pedro II, assinou a Lei Aurea, determinando que em todo território brasileiro à escravidão estava extinta.
Mas será que a escravidão foi mesmo extinta? Atualmente, vemos vários tipos de escravidão no Brasil; a mais conhecida no entanto seria a nas carvoerias no interior do país, onde homens, mulheres e até crianças são colocadas em grandes fornos e passam o dia trabalhando e a noite dormem nos mesmos; não se alimentam bem e por viverem inalando gás carbônico que é resultado da queima de madeira a saúde desses são extremamente degradadas.
Então o que fazer para que este e outros tipos de escravidão acabe? Será q podemos acabar com ela de verdade? Bom, não podemos eliminar a escravidão por completo, pois grandes latifundiarios e empresários não deixam que politícos honestos façam seu trabalho, combatendo esse tipo de trabalho que mata dezenas de pessoas todos os anos. Quando tentam lutar contra essa força são assassinados, como aconteceu em 2004, onde 4 fiscais da Delegacia Regional do Trabalho de Minas Gerais foram assassinados por estarem investigando denúncias de escravidão na região noroeste do estado mineiro.
Infelizmente, desde 1530, teremos que conviver com a escravidão até que as pessoas deixem de ser muito capitalista e olhe para o próximo como um semelhante.

Espero que tenham gostado do primeiro post, muitos outros viram tratando de temas diversos, polêmicos, atuais, divertidos...
Fico por aqui, até a próxima! Comentem...


10 comentários:

Priscila Hellen disse...

Coment no 1º post... eeeeee
Rsrs....
Mtooo bom seu texto... e eh vdd msm.. de q adianta comemorar 121 anos q a abolição da escravatura foi assinada, sendo q a escravidão naum acabou realmente e provavelmente (e infelizmente) nem acabe... eh triste neh....
Sem palavras msm.... Eh inaceitável essa situação, mas infelizmente temos q conviver com isso....

Mas enfim, mtoo sucesso pra ti viuu!!
Bjuxx... =)

paula barros disse...

Patricia obrigada pela visita. Realmente não acabou. Apenas se modificou, existem outros tipos.

Um bom post para começar, que nos leva a refletir a liberdade, o capitalismo, o respeito ao próximo, o trabalho que explora, os diversos tipos de escravidão, e me fez ainda lembrar do preconceito.

abraços

Avassaladora disse...

Patrícia, para tudo há a primeira vez...
Que bom estar aqui escrevendo, interagindo, se lançando nesse mundo dos blogs...
Eu tb comecei ha pouco tempo e estou adorando...
Vc é tão novinha e já começa com temas sérios e polêmicos... isso é muito bom!
Nada de juventude alienada!

É assim mesmo!
Escreve sempre o que lhe vier na alma!
Escreva com o coração...

Vou adorar estar sempre por aqui...


Beijos e carinhos!

Guilherme Bandeira disse...

Olá Patrícia!

Estou passando para conhcer seu blog, gostei muito do que vi por aqui também. Agradeço pela visita no Olha que Maneiro!...beijos!

Guilherme Bandeira
www.olhaquemaneiro.com.br

Philipe disse...

olá Patrícia

Muito bacana o tema que você abordou, sobre isso penso da seguinte forma, saber o que acontece todo mundo sabe, ainda existe exploração de mão de obra, descasso com o ser humano, e é assim que fonciona o sistema capitalista, ganhar menos do que se produz. A questão maior é como mudar essa realidade, uma vez que todos nós lutamos pra nos adaptar a este sistema, estudamos pra ter um bom emprego para ser patrão e não empregado. Então deixo a pergunta, até quando vamos reclamar da realidade que queremos fazer parte?

Nunes, Fer! disse...

Mais do que tudo isso mostra o quanto a humanidade é cruel e egoísta, a maioria não se importa com os outros e ainda eliminam os que se importam, isso é o fim...

parabéns pelo blog, e mto sucesso pra vc.... =]

Philip Rangel disse...

Mostra o tanto que ja evoluimos e ainda temos a evoluir...

bjao amorr

Rafael Silveira disse...

Olá Patrícia, realmente, ainda vemos a escravidão em muitos lugares do Brasil.
Podemos mudar isso de muitas maneiras, e devemos lutar para que haja igualdade nos nossos tratos sociais com os outros.
Parabéns, seu blog vomeçou com o Pé DIreito!
Aproveita e vira seguidora do Muleque Doido, assim, acompanhamos mais de perto, as atualizações de nossos blogs!
Grande abraço, sucesso para você!!!!!

Klaus disse...

Escravidão? Para viver, ser "digno", você tem que trabalhar várias horas por dia, gastar horas indo até o trabalho, voltando dele... ANOS trabalhando. Quando aposenta, continua trabalhando para ter uma renda extra, e passa horas numa fila para receber o dinheiro que "merece". Muitas vezes, o emprego não é nem o que a pessoa quer fazer, e sim a única coisa a qual teve oportunidade de fazer... Obrigada a conviver com pessoas as quais não gosta, vulnerável a humilhações e assédios, poucas condições de se sentir tão digno como alega os empregadores.

Escravidão? Trabalhar para viver, para ter direito ao que a Terra dá a todos nós. Ainda somos escravos - só que aceitamos isso, porque escolhemos o que e como fazer com o fruto das chicotadas dos patrões, e do nosso suor.

=)

Andre disse...

É lastimável a constatação de que estruturas opressoras como a escravidão ainda permeiem nossa sociedade. Mais chocante ainda é perceber que a situação se mantém em função da vontade dos mais poderosos, que defendem seus interesses à todo custo, ainda que isso implique a infelicidade de outrém. POr mais que tente divisar boas expecctativas para a nação, sou inclinado ao pessimismo ao me deparar com essa situação.